Gestão do E-commerce

Como montar um e-commerce do zero: passo a passo completo

Flávio Beraldo
Escrito por Flávio Beraldo
Como montar um e-commerce do zero: passo a passo completo
Faça como diversos profissionais de marketing e e-commerce

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos para irão te ajudar

Uma das principais dificuldades de quem está começando a montar um e-commerce é entender qual o primeiro passo, e o que priorizar em cada etapa da implementação e construção de marca. 

Então, este artigo é para você que quer entender como montar um e-commerce do zero. No conteúdo você encontrará dicas, insights, e um passo a passo completo de todas as ações que nós recomendamos seguir antes de começar a vender seus produtos pela internet.

Boa leitura!

As principais etapas de como montar um e-commerce de sucesso

É muito comum empreendedores ou empresas já estruturadas fisicamente nos falarem que não planejaram todas as etapas ao iniciar o processo de criação de um e-commerce. Entretanto, por se tratar de um novo canal de vendas é fundamental que os responsáveis compreendam as principais etapas desse novo projeto e realizem um planejamento completo e sustentável para alcançar um crescimento escalável de performance em vendas.

Tipos de e-commerce: compreender o ecossistema do comércio eletrônico é fundamental

O primeiro passo para os novos navegantes de um e-commerce é compreender como funciona o ecossistema desse modelo de negócio, para que consiga entender qual o mais adequado ao seu. Por isso, podemos separar da seguinte forma: 

B2C (Business to Customer)

Esse é um dos modelos mais tradicionais que encontramos no mercado, onde a cadeia de processos é centralizada no varejista, e a relação comercial é feita entre empresas e consumidores finais.

B2B (Business to Business)

O ecossistema que vem ganhando grandes adeptos no ambiente virtual é o modelo de e-commerce B2B, principalmente pelas indústrias, por conta das grandes possibilidades que os canais digitais oferecem de atrair, relacionar e gerar uma melhor experiência. Além da escalabilidade nas vendas sem a necessidade de ter um grande equipe de vendedores. A realização das transações desse tipo de e-commerce é realizado entre empresas.

C2C (Customer to Customer)

O terceiro ecossistema também possui grande escala no mercado. Neste modelo, a relação de compra e venda de produtos é realizada de consumidor para consumidor, apenas existindo uma empresa intermediadora que faz a gestão da plataforma. Dois ótimos exemplos de ecossistema C2C são o mercado livre e elo7.

C2B (Customer to Business)

Nesse formato as transações são realizadas quase que semelhante ao modelo B2C, só que em uma perspectiva inversa onde os consumidores ofertam produtos e serviços para as empresas. Este modelo é muito comum em plataformas de freelancers que prestam algum tipo de serviço para empresas. 

Apesar de destacarmos os principais modelos de e-commerce, não dá para dizer que existem ou existiram apenas estes, pois o mercado está em constante evolução. Além disso, os desdobramentos o avanço da tecnologia nos proporciona a criação de novos ecossistemas.

Analise o seu mercado

Tanto para novos empreendedores quanto para varejistas que já possuem um ponto de venda físico, é essencial que haja uma análise do mercado em que será desenvolvido o e-commerce. Vale ressaltar que esta análise deve englobar o público, concorrentes, novos entrantes, tendências, etc. 

A análise prévia pode ser realizada da seguinte maneira:

Varejistas com PDV físico

As empresas sólidas que já possuem um ponto de venda físico, mix de produtos bem definidos, e desejam comercializar os seus produtos nos canais digitais, devem realizar um estudo para saber quais são as melhores estratégias e ações para atingir o público-alvo. O objetivo é entender como se dá o comportamento de consumo desse público na internet, além de fazer uma avaliação sobre a forma como seus concorrentes estão desenvolvendo o trabalho nos canais digitais.

Novos empreendedores

Já para as novas lojas virtuais é muito importante fazer uma análise sobre a escolha do nicho que irão atuar e também realizar uma validação sobre os produtos com seus prováveis consumidores. 

Quando comento sobre isso com alguns futuros empreendedores, é muito comum eles nos questionarem sobre o por quê a definição do nicho é importante para um novo negócio. Basicamente, em um mercado competitivo com cada vez mais players se consolidando, fica muito difícil uma empresa que não possui um grande capital ou experiência se sustentar de forma escalável. A análise pode prever este tipo de situação. 

Faça um plano de negócios

Qualquer empresa deve desenvolver um plano de negócios, mesmo as que já possuem uma atuação no varejo tradicional. Vale lembrar que nem sempre os comportamentos do público em lojas físicas são os mesmos nas lojas virtuais. 

Até mesmo uma documentação simples sobre as principais informações já poderá te ajudar, o importante é você ter claro onde quer chegar, o que tem de recurso disponível para atingir este objetivo, e como fará isso. 

Busque a tecnologia que se adeque ao seu projeto

A escolha de uma plataforma de e-commerce é uma fase muito importante e crucial para que você não tenha futuras dores de cabeça ao longo do seu projeto. Por isso, alguns pontos devem ser avaliados, entre eles eu destaco a estrutura do negócio, necessidades específicas da sua operação, como número de página, métricas que você deseja avaliar, etc. 

Entenda como escolher a melhor plataformas de e-commerce para o seu negócio.

Pagamento no e-commerce

Ao comercializar produtos ou serviços em uma loja virtual é muito importante se atentar em como será realizada às transações. Você já deve saber que existem algumas opções de pagamento mais comuns para os consumidores, como os gateways de pagamento, intermediadores de pagamento e integração direta.

É importante que você entenda essa diferença e escolha qual a mais interessante para o seu negócio, ou se por acaso as duas opções são válidas. Para isso, eu recomendo o conteúdo exclusivo que produzimos sobre a diferença entre gateway de pagamento e intermediadores de pagamento.

Anti-fraude

O sistema anti-fraude é essencial para qualquer comércio eletrônico, tanto para passar confiança ao usuário que acessa o seu site, para os robôs do motores de busca e o desempenho das suas campanhas de mídia paga, quanto para a saúde financeira da sua loja. 

A ação de hackers e fraudes no seu e-commerce pode ser minimizada com um bom sistema anti-fraude. Isso porque, nele é avaliado todos os itens que podem levar a uma transação segura tanto para o lojista quanto para o comprador. Como abordado no conteúdo de gateway e intermediadores de pagamento no tópico acima, algumas empresas já possuem o sistema integrado.

Segurança

Uma loja virtual que se preocupa com a segurança do seu cliente e com as informações fornecidas por ele no momento da compra, passa a confiança de que aquele site realmente é seguro.

Um dos grandes medos que afligem os consumidores na internet é o risco de ter os seus dados roubados, como as informações do cartão de crédito, por exemplo. Por isso, existem algumas precauções que você deve implementar se deseja aumentar as vendas em seu e-commerce, como a adoção de certificados SSL e selos de segurança. O Google, por exemplo, possui um relatório de transparência para lojas virtuais que desejam se manter segura perante o maior buscador da internet. 

Estruture e planeje o processo logístico

Muitos profissionais ainda acham que  para um e-commerce ter sucesso basta apenas ter um bom produto, preço acessível, reconhecimento da marca e um site que ofereça o produto. Mas, apesar de esses fatores serem realmente importantes, a operação logística eficiente de um comércio eletrônico tem sido um dos maiores diferenciais para proporcionar uma ótima experiência de compra e reduzir os custos. Recomendamos o planejamento do processo logístico da seguinte maneira:

Defina suas estratégias de marketing

Agora é a fase onde você deve focar em desenvolver estratégias de marketing para seu e-commerce com o objetivo de atrair mais clientes e também fidelizá-los.

Metas e Objetivo

Um dos maiores erros que as empresas cometem é iniciar suas ações de marketing sem ter claro as metas e objetivo do negócio. Por isso, antes mesmo de elaborar suas estratégias, faça o mapeamento e documentação dessas informações. Uma boa maneira de estruturar esses dados é através do método S.M.A.R.T. Entenda como fazer isso clicando aqui.

Personas

Assim que você tiver as metas e objetivo bem claros, parta para o desenvolvimento da buyer persona. A definição do seu cliente ideal é fundamental tanto para escolha dos canais quanto para criação de uma comunicação eficiente.

Mas, neste tópico vale ressaltar que a persona é muito mais do que apenas o público-alvo da sua loja, as informações que você deve colher acerca deste consumidor é muito mais detalhada e profunda do que sexo, idade, e região em que reside. 

Plano de Mensuração

Para evitar futuras dores de cabeça e também erros na avaliação das suas estratégias, você deve desenvolver um plano de mensuração para saber para qual caminho as suas ações estão te levando. Por isso, aprenda a selecionar as métricas e KPIs do seu e-commerce e avaliá-las da melhor forma. 

Uma das principais métricas que todo proprietário e gerente de e-commerce deve avaliar é o ROI, entenda como ela pode salvar o seu negócio.  

Atraindo clientes para o seu e-commerce

Assim que todas as informações anteriores forem estruturadas, você deve estruturar os meios pelos quais você irá atrair mais clientes para a loja. Veja alguns: 

Buscadores

Todos nós utilizamos os buscadores como fonte de informação, tanto para encontrar informações que sanem as nossas dúvidas, quanto para encontrar produtos. É importante você entender que os seus clientes não possuem um comportamento diferente desse – não a toa 92% da experiência online se inicia por meio de uma pesquisa. Logo, é muito importante que você adote esse canal com um dos aliados mais importantes da sua estratégia.

Entenda quais são as ações que podem ser realizadas nos mecanismo de busca para aumentar a sua performance em vendas:

Busca orgânica

Para conseguir trabalhar com essa ação, você deverá adotar as ações de SEO (otimização de sites para mecanismos de busca). O SEO busca por meio de técnicas de melhorias internas e externas do seu site, melhorar o posicionamento orgânico do seu site, atraindo, assim, mais visitantes. Um dos grandes diferenciais aqui é que você não tem a necessidade de realizar investimento em mídia. Por outro lado, é uma solução que oferece retorno de médio a longo prazo.

Busca paga

Diferentemente da busca orgânica, esse tipo de ação trabalha com os espaços pagos nos buscadores, geralmente intitulada como SEM ou marketing de busca. Na parte prática é muito simples, você pode criar campanhas e anúncios com ferramentas como o Google Adwords, mas para isso precisará investir em mídia. Aqui os resultados aparecem a curto prazo.

Marketing de Conteúdo

Complementando as estratégias dos buscadores, você poderá adotar a estratégia de marketing de conteúdo. Ela traz a vantagem de atingir a sua persona ao longo da jornada de compra – ou seja, funil de vendas. Para ativação do marketing de conteúdo em seu e-commerce, você pode tanto um blog, aliado com outros formatos de conteúdo como vídeos, infográficos, e-books, podcasts, e etc.

Além de todos os pontos que mencionei acima, o que mais gosto dessa estratégia é que ela também constrói uma autoridade para sua marca, e claro, um relacionamento de fidelização com o cliente.

Mídia Programática

A evolução tecnológica na publicidade ao longo dos últimos anos é nítida, e a mídia programática é um grande exemplo disso. Isso porque, ela proporciona uma maior assertividade no momento de compra, veiculando anúncios aos clientes.

Em resumo, a mídia programática nada mais é do que a compra de anúncios automatizada e em tempo real, trazendo grandes benefícios como otimização de tempo na negociação de espaços publicitários e também no recurso investido em mídia.

CRM

O CRM é uma das principais estratégias de marketing digital para fidelizar clientes. Por meio da automação e réguas de relacionamento você pode agregar valor à marca e fazer clientes antigos comprarem de você novamente. Veja aqui os principais benefícios de adotar uma estratégia de CRM para e-commerce.

Marketplace

Outro canal que tem como foco gerar vendas é o marketplace. Se você quer conhecer mais sobre esse tema criamos um conteúdo especial para você com uma lista completa de marketplaces que podem te ajudar a vender mais.

Influenciadores digitais

Na era da aprovação social, as marcas também devem se importar com a sua credibilidade. Por isso uma das maneiras de fortalecer esse ponto tão relevante para o seu negócio que têm ganhado cada vez mais adeptos é a utilização dos influenciadores digitais.

Neste artigo eu contei de maneira muito simples como você pode adotar essa estratégia da forma certa.

Organize o seu atendimento

Seria muito genérico se eu mencionasse que você deve ter foco no atendimento do seu cliente? É claro que sim, e além disso, provavelmente você ficaria frustrado, pois eu não trouxe nenhuma informação útil à você. Bom, essa será a mesma sensação que o seu cliente terá se ele se depara com um processo de atendimento mal estruturado e organizado.

Confira 14 dicas para melhorar o atendimento ao cliente através da gestão de processos.

Utilize os dados como vantagem estratégica

Os dados são o maior bem que uma empresa pode ter, acredite. As informações que são computadas pelos resultados financeiros, marketing, logístico, atendimento, e etc., devem servir como vantagem estratégica para sair na frente dos concorrentes. 

Entretanto, sei que uma das principais dificuldades dos proprietários e gerente de e-commerce é estruturar um processo para tomadas de decisões com base em dados. Pensando nisso, montei um passo a passo para te ajudar nesta etapa:

  • Captação dos dados: Nesta fase, colete as informações de todos os departamentos do seu e-commerce, desde dados financeiros à logísticos.

  • Compilação e organização dos dados: Crie um método para que todos os dados sejam integrados e computados, fazendo a conexão entre as informações. Isso pode ser realizado de maneiras mais complexas pelo big data ou até mesmo em planilhas Excel, dependo do volume de dados da sua empresa.

  • Visualização dos dados: A visualização correta das informações é uma arma muito poderosa, pois ela facilita a leitura dos dados, mas ela é uma faca de dois gumes, porque se feita da maneira incorreta, poderá prejudicar seu negócio ao invés de ajudar.

  • Democratização das informações: É muito importante que todas as pessoas relacionadas ao projeto possuam dados de outros departamentos de maneira democrática. Isso porque, cada setor da empresa tem uma conexão direta com o outro. Imagine a seguinte situação, um e-commerce estava com péssimo resultado nas vendas, mas ao democratizar as informações notou que o índice de NPS estava ruim, devido ao péssimo processo logístico. Isso prejudicava totalmente a credibilidade da empresa. Nesse exemplo fica claro entender que é preciso que todas as áreas desenvolvam estratégias em conjunto para resolver o problema – por outro lado, a falta democratização dos dados poderia resultar em uma grande perda na quantidade de receita.
  • Tomada de decisão: Alguns estudos apontam que o processo de decisão é uma das sensações que mais geram estresse ao seres humanos, por isso é essencial você consiga criar micro processos para facilitá-la.

#ConteúdoBônus

Está pensando em contratar um parceiro para a sua loja virtual? Separei este conteúdo para você aprender a como contratar uma agência de e-commerce de acordo com o seu objetivo de negócio.

Se você gostou do conteúdo ou ficou com alguma dúvida, deixe o seu comentário.

Nosso Endereço

Alameda Joaquim Eugênio de Lima, 696,
Conj 41e 42 – Jardins –
São Paulo – SP
CEP : 01403-000

Fale Conosco

Fale com a nossa equipe de especialistas

(11) 96382-6109 (WhatsappBusiness)

vendamais@cicloagenciadigital.com.br